quarta-feira, 4 de maio de 2011

Mensagem de André Luiz

NAS HORAS DE POUCA FÉ ...

Asserena-te, alma da Terra, pois que a alegria, a cura, o amor ou o trabalho, a estabilidade, a paz e o equilíbrio, sempre solicitados por tua alma, te esperam e chegam sempre devagar às tuas possibilidades atuais.

Não subestimes nunca, porém, o valor das aparentes horas vazias que tens atravessado, pois foram as que te propiciaram, além do resgate intrínseco à situação, oportunidades de, em espírito, refletires sobre as reais atribuições de cada hora e de cada circunstância da vida.

Por motivos de ordem muito mais abrangente do que o vosso egocentrismo possa entender, chega na hora certa, apenas, o momento de serem reencetadas as paralisadas situações de tua vida, servindo sempre como treinamento para as futuras leiras de solidariedade, tudo aquilo que tu interpretas como paralisação, falta de sorte, de proteção ou de capacidade.

Como sempre, o amadurecimento brota um pouco mais após cada tempestade 

Embora um sol de equilíbrio e restauração sempre ensaie por brilhar a qualquer instante, em cada etapa da tua vida, não te esqueças que, acima de tudo, orar e agir são portas salvadoras para os impedimentos que surjam naturalmente, pelo próprio choque que provoque qualquer início de refrutificação no Bem.

Estejas guarnecida, alma querida, do pão da misericórdia e do entendimento para com as criaturas que assim como tu, em muitas partes do mundo e em vários setores do trabalho espiritual na Terra, lutam por colaborar com a tarefa de Jesus no orbe terreno.

Não esmoreças também, quando vislumbrares as provas de cada qual ligado ao teu coração aproximarem-se devagarinho do quadro da saúde, do equilíbrio, do trabalho ou de qualquer outra situação terrena, pois que cada um dos filhos de Deus tem o mérito de receber a oportunidade divina de redenção de seus passos desconsertantes.

Também devem eles reconhecer suas lacunas e construírem, em seu lugar, o lado novo de seu espírito !

Conhece os porquês das coisas, e o afastamento necessário de muitas lidas, que tiveste até aqui, situações que põem à prova os teus reais recursos de entender e confiar na Justiça e Sabedoria de Deus.

Vacilas, ainda quanto à certeza de que os motivos de todos os fatos, problemas e situações inusitadas que acontecem de inopino em tua vida, tem uma razão de existir.

Apelas sempre para os sublimes freios e alertas das doutrinas que abraçaste, mas estas devem estar alavancando as tuas possibilidades materiais reais de sentir, ver, ouvir e fazer.

O sentido da renovação deve prevalecer em qualquer hora de vossas existências, transcendendo às limitadas circunstâncias de aprender, presenciar ou participar de ensinos e advertências doutrinárias, apenas nos momentos de dificuldades de qualquer ordem.

Sirvam os momentos diferenciados que tens atravessado, de inércia, de dores, de desconsolo, de erros, de perdas, de paralisações ou de angústias afetivas, embora cada uma delas tendo sempre os seus misteres, também para a oportunidade de, para uma próxima vez, não te precipitares no desânimo e na falta de fé diante dessas situações diferentes, que acontecem a qualquer um, embora imaginam todos apenas vitórias, luzes e acertos para todos os seus passos em suas vidas terrenas.

Problemas sempre terão o seu momento de estarem a termo, isto é, no fim de seus ensinamentos.

Quando todas as experiências desagradáveis, que ensinam teu espírito, estiverem a termo de serem solucionadas, serão devidamente tratadas pela assistência divina de cada um, conforme orientação superior.

Confia em que nunca estiveste desamparada, alma irmã !

Teus olhos espirituais, no entanto, nublados ainda pela ignorância da pouca vivência, custam, por vezes, a visualizar por um ângulo superior, as necessidades que teu espírito tem de perlustrar situações e acontecimentos inesperados e aparentemente negativos.

Procura reabastecer-te fisicamente com os valores energéticos de tudo o que já foste informado ser valioso para a tua recuperação e para o teu trabalho de soerguimento moral e espiritual.

No entanto, não esperes estar isento, meu irmão ou minha irmã, de dores ou desgastes, desequilíbrios ou emoções, pois que fazem parte deste educandário da vida terrena.

Pensa que deves atravessar as fronteiras do ressarcimento de teus equívocos com o fardo das conjunturas, mas trabalhando sempre para que o amanhã chegue mais radiante do que o hoje.

Exemplo, fé, oração, vigilância e trabalho !

Mentaliza luz no teu lar e onde quer que estejas !

Observa que existem muitas outras situações desastrosas, aparentemente irremediáveis, nas vidas de outras criaturas que 
caminham ao teu lado.

Esforça-te para conheceres e participares da contribuição fraterna aos seres humanos em provas mais rudes.

Que Jesus te abençoe nesta nova hora que se iniciará, a cada dia, para tua vida, sempre trazendo suas lições adequadas para as lacunas de teu ser !

Vai em frente, de braços dados com a luz do Mestre Jesus, sulcar o solo da tua própria libertação, deixando as sementes da esperança e da fé em que tudo pode se renovar e se reconstituir, como pode se destruir para novas construções da alma!

Deposita a tua cota de cooperação sempre, por onde passes e vejas desolação, desvios, ou perigos de qualquer fundamento, falando de teus equívocos e perdas, erros, enganos, derrotas ou fracassos, para o florescimento de mais fé e esperança em outros corações humanos!

Frutificarão sempre todas as boas sementes que plantares naqueles terrenos dos corações de muitas almas humanas, que passam desapercebidas de que as tormentas, os dissabores, os enganos, as dores e as insatisfações fazem parte dos roteiros de redenção humana, levando a todos, sempre para a verdade e para a luz!

Tende sempre a fé de que tudo tem um porquê!

Muita paz !  Que Jesus nos abençoe!

André Luiz

Mensagem psicografada em 11 de setembro de 2010 por Rosane Amantéa.

Fonte:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...