segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Bom Dia!


Neste dia que ora desponta,
Assim como em todos os outros,
Permita-me, Senhor,
conduzir-Te comigo,
Guiando-me por entre as pedras
que calçam meu caminho.

Leva-me, Senhor,
por trilhas brandas,
E que meus pés não sangrem
mais do que o necessário.
Ao atravessarem todos
os percalços que me esperam
Na dura caminhada
do dia-a-dia da vida.


 Permita-me, Senhor,
 enxergar os erros e os acertos,
Meus e de todos que
de mim se acercarem,
Protegendo meus olhos da dor,
da miséria e do sofrimento, que, espero, 
deixarão um dia de existir.

Permita-me, Senhor,
que use minhas mãos
somente para o bem,
Guiando-me em cada gesto,
em cada atitude,
em cada traço da caneta...
Para que, no futuro,
não venha eu a amaldiçoá-las
Por haver, de qualquer forma,
dissipado de forma inaproveitável,
a sua energia.

Permita-me, Senhor,
que me valha de meus ouvidos
Somente para boas, construtivas e proveitosas palavras,
olvidando as caluniosas e as maledicentes, 
erva daninha da boca dos homens, 
para que possa eu distribuí-las a todos 
que de mim se aproximarem.

"Permita-me, Senhor,
que meu olfato seja dirigido
aos singelos e perfumados aromas
que inebriam a natureza e pairam no ar,
sem que o cheiro da  degeneração
(que parece estar por invadir a Terra)
possa de mim tomar conta
e apagar as boas sensações.

Permita-me, enfim, Senhor,
dirigir todos os meus sentidos,
Para o bem comum - em casa,
no trabalho, nas ruas -
Para que eu, no final do dia,
possa agradecer-Te
Por haver, finalmente,
aprendido o verdadeiro sentido
da palavra amar".

Recebido por e-mail de Maria José (Zezé)


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...