quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A história do martelo



Quando ficamos muito preocupados e sofremos por antecipação, geralmente imaginamos coisas ou tiramos conclusões antecipadas de algo que ainda nem ocorreu, muitas vezes equivocadas. É a tal ansiedade tomando conta de nós. Não devemos deixar essa sensação de medo, de insegurança tomar conta do nosso íntimo, fazendo com que sofremos por antecipação, ou pior, que tomemos atitude “insanas" pelo simples fato de não sabermos esperar. Veja o que acontece quando nos antecipamos aos acontecimentos:


Um homem queria pendurar um quadro. O prego ele já tinha, só faltava o martelo. O vizinho possuía um, e o nosso homem resolveu ir até lá pedi-lo emprestado.
Mas ficou em dúvida:

"E se o vizinho não quiser me emprestar o martelo?


Ontem ele me cumprimentou meio secamente.


Talvez estivesse com pressa.


Mas isso devia ser só uma desculpa.


Ele deve ter alguma coisa contra mim.


Mas por quê? eu não fiz nada!


Ele deve estar imaginando coisas.


Se alguém quisesse emprestar alguma ferramenta minha eu emprestaria imediatamente.


Por que ele não quer me emprestar o martelo?


Como é que alguém pode recusar um simples favor desses a um semelhante?


Gente dessa laia só complica a nossa vida.


Na certa, ele imagina que eu dependo dele só porque ele tem um martelo. Mas, agora chega!"


E correu até o apartamento do vizinho, tocou a campainha, o vizinho abriu a porta. Mas antes que pudesse dizer "Bom Dia", o nosso homem berrou:


"Pode ficar com o seu martelo, seu imbecil!"


Quantas vezes deixamos de realizar algo bom pensando no que os outros iriam pensar de nós!


Do livro:
Sempre Pode Piorar ou A Arte de Ser (In) Feliz
- Uma abordagem psicológica
Paul Watzlawick

Música:
If I had a hammer
Frank Pourcel

MusicPlaylist
Ajude o blog com sua doação! Clique no botão abaixo para doar qualquer quantia.




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...