sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Deus só pode estar equivocado. Será?



Tem situações e acontecimentos em nossa vida que nos pegamos falando algo parecido: Deus só pode ter se equivocado, não pode ser, Ele deve ter se equivocado dessa vez... Será?

Quando estamos diante de momentos marcantes, dos quais nem sempre eles são positivos, é que surge a revolta, a negação do ocorrido. No fundo, não estamos aceitando essa situação. Perguntas sem respostas começam a surgir, os porquês pipocam em nossa mente, buscamos nos outros algum alento, algum amparo que possa nos explicar o que está ocorrendo, em especial o porquê disso acontecer e isso só nos confunde mais. A resposta não está fora, está em nós e é preciso mergulhar profundamente no autoconhecimento para acessar essa verdade.

Se autoconhecer demanda aprender a ter paciência, se conformar diante dos acontecimentos da vida, compreendendo que sim, há um porque dele ter acontecido e esse motivo nos é revelado na hora certa. E nem sempre a nossa hora é realmente a hora certa no tempo divino. Na hora certa divina estamos maduros consciencialmente para perceber e compreender profundamente do porque tudo ter acontecido. É como se fosse um pré requisito: para saber sobre tal assunto, se aprofunde mais em você mesmo, em outras palavras: amadureça. É como se ao nos aprofundar mais na essência da vida estivéssemos juntando “bônus” para adquirir o merecimento necessário para compreender sobre a dinâmica da vida, o que dispara os fatos e situações que estão acontecendo ao nosso redor ou conosco.

Por mais difícil que seja a situação que você esteja vivendo, por mais dolorosa, por mais assustadora, por trás dela há um pedido de crescimento, de evolução da sua parte. As situações que acontecem em nossas vidas estão todas interligadas e elas são aproveitadas ao máximo para aflorar aprendizados em todos que estão envolvidos, direta ou indiretamente.

É preciso saber diferenciar se conformar do ser passivo. Se conformar é se resignar diante de um acontecimento, em especial a nossa alienação ante a ação divina que atua diretamente sobre nós todos os dias buscando criar situações (nem sempre boas a 1ª vista) para nos tirar da inércia do comodismo. Ser passivo está relacionado a você estar acomodado na sua vida, não fazendo sua parte em tudo o que você vive, trata-se de não assumir a sua responsabilidade diante do que a vida lhe apresenta e se esconder atrás de posturas como: vitimização, culpados, vilões, preguiça, deixa para depois...

Portanto, quando questionamos Deus (ou o ser ao qual você acredita) é preciso entender que estamos brigando com Ele. Quando O questiono, digo que Ele está errado e eu certo! Pare e pense... Quanta arrogância a nossa achar que sabemos mais que Ele, o grande Criador! Que condição que temos de O questionar quando nem lembramos do que aconteceu no passado? Como é possível entender os desígnios Dele se nem compreendemos porque nós nascemos?

É preciso humildade, viver na Terra com os pés no chão, cientes de que perdemos muito tempo repetindo equívocos do passado e que esses, se refletem até o hoje, o que explicaria o que está acontecendo ao seu redor. Muito cuidado com estereótipos de vítima, de vilões... Se a vida é uma grande escola, nós viemos aprender conteúdos (sentimentos e pensamentos) que podemos estar reprovando de ano a cada vez que se repetem em nossas vidas. Por isso, olhe com mais profundidade o que acontece ao seu redor e entenda que Deus escreve certo por linhas certas, tortuosa é a nossa forma de interpretar!

Por fim, quando estiver em uma situação difícil, sugiro que:

-1º: entenda que ela é transitória, passageira (acredite, ela irá passar, tudo passa...);

-2º: que existe uma lição a ser aprendida (Caso não consigas sozinho, é hora de pedir ajuda para que você consiga encerrar mais esse ciclo na sua vida);

-3º: que não tenha pressa, pois as coisas têm seu tempo e nem sempre é possível assimilar tudo de uma vez (se permita chorar, ficar bravo... Mas, em algum momento será preciso dar um basta na situação e querer seguir em frente, ou seja, não ficar o resto da vida se achando a vítima, por exemplo);

-4º: descubra a lição que está por trás de tal situação (somente assim você poderá se libertar e seguir em frente na sua vida).

Olhe com carinho a situação que lhe tira o equilíbrio e encontre nela uma motivação para ser uma pessoa melhor. Seja um exemplo de superação. Se entregue e confie em Deus (ou o ser ao qual você acredita) e na sua ação divina. Aceite-a e faça a sua parte no que lhe compete: usar esse ocorrido como uma mola propulsora para alcançar o próximo degrau da sua escada evolutiva. Entenda que Deus não se equivocou no que está acontecendo... Faça as pazes com Ele, mude seu pensamento e siga em frente, encerrando mais um ciclo em sua vida, tornando-se assim, uma pessoa melhor.

Autoria: Aline Elisângela Schulz

fonte:
Ajude o blog com sua doação! Clique no botão abaixo para doar qualquer quantia.




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...