sábado, 1 de março de 2014

Dom da Alegria



Estabeleça uma convivência de forma espontânea e alegre

Os seres humanos nascem com o “dom da alegria”, e enquanto criança exercita esse ato de forma espontânea e quase que a todo tempo. Os Pais dos bebês não perdem tempo ensinando aos seus filhinhos a rir e ser simpáticos, e nem tão pouco filosofam a respeito da vida no sentido que devam eles manter a forma alegre e prazerosa da vida.

É certo também que existe crianças que se mostram mais acanhadas, acabrunhadas, com carinhas de poucos amigos. Mas mesmo esse tipo de criatura tem em si a criança, criança que gosta de brincar, às vezes de brincar sozinha, também dotada da forma de ser alegre.

A maioria das crianças, enquanto bebês e até seus 5 a 7 anos de vida, sem distinção de raça, cor, status social ou origem são portadoras do dom da alegria, e é muito fácil arrancar um sorriso desses rostinhos, fazer uma brincadeirinha às escondidas ou dar uma piscadinha.

A partir do momento que rompe essa faixa etária da criança propriamente dita, quando elas iniciam a interpretar e entender um pouco mais sobre “seu mundo em particular” descobrem as chamadas diferenças sociais. Esse é um momento de difícil transição. O ego arromba os entraves que a criança trouxe consigo, e se manifesta livre e abundante dentro do clima da dualidade que os seres humanos convivem.

No momento da vida desses seres em que se inicia esse sentimento de desigualdade e principalmente de inferioridade dentro dessa conflitante sociedade, são eles afetados em sua formação psicológica, e uma grande maioria vai perdendo pelo caminho da vida o dom da alegria que trouxe quando do seu nascimento.

É lamentável que os seres humanos ignorem a dádiva da alegria, que é uma das mais relevantes características da forma de ser, que lhe foi oferecida gratuitamente e graciosamente quando de sua criação. Os mestres ascensionados nos ensinam que devemos colocar a alegria em todas as coisas. É muito mais fácil transpor por qualquer atividade dentro de um plano alegre do que emburrado e de mau humor.

Também somos criticados pelos Mestres ascensionados por sermos seres mal humorados e desprovidos da alegria.

Então vamos driblar a tristeza, liberar a criança retida em nossos sentimentos, franquear uma boa forma de ser alegre e sorridente e conduzir a vida com leveza, com respeito por todos os seres viventes no plano terrestre, e principalmente descobrir o amor, sim o amor incondicional, aquele que não pede recompensas, que não cobra, que se enobrece em poder oferecer.

Faça uma analogia de sua forma de ser e estar. Faça uma autocrítica. Se preciso, faça comparações dentro do seu grupo de relacionamento. Procure entender, mas, porém, com o cuidado de não julgar e sim com seu espírito aberto para respeitar.

Aprenda, reflita e coloque em prática uma vida nova. Você irá perceber que sua vida será conduzida com maior facilidade, e atenção quando você encontrar esse novo patamar: poderá sentir que a convivência com seus familiares e dentro do seu ambiente de trabalho, no convívio social, com seu cachorro e seu gato, com tudo que estiver à sua volta, sem dúvida, irá melhorar substancialmente.

Seja feliz, alegre e desfrute do dom da alegria a todo tempo e a toda hora. Você pode. Você tem esse direito.

Viva feliz e sorridente.

Gerson Ferrari

FONTE:


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...