sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Pensamentos, palavras e atos



Todos os nossos pensamentos, palavras, atitudes e atos, bons ou maus, são criações energéticas que se tornam eternas.

Devemos entender que nossos pensamentos e nossas falas se transformam em registros indeléveis (que não se dissipam, não desaparecem). No momento em que emitimos uma crítica negativa de qualquer espécie, ela fica registrada no mundo espiritual. É desta forma que criamos nossos débitos e nos tornamos vítimas de nós mesmos, devido a Lei Universal do retorno.

Não sabemos, mas somos nossos próprios algozes, atraímos as doenças físicas ou mentais, como também atraímos as desgraças (porque perdemos o Dom da Graça).

Deus não tem nada a ver com nossos infortúnios; nós, somente nós, é que atraímos tudo que nos acontece de bom ou ruim. Em diversos momentos em nossa vida, fazemos o que queremos... e não buscamos "nem em oração"... se é ou não da vontade de Deus o que pretendemos fazer.

Usamos mal o que Deus nos disponibilizou para nosso desenvolvimento. Nossas más criações sonoras, mentais e emocionais nos distanciam da perfeição, desorganizam nossa vida. A humanidade não percebeu ainda que a causa de nossos infortúnios somos nós mesmos.

Vivemos nos perguntando por que tudo dá errado em nossas vidas?

Por que as coisas não andam? Geralmente culpamos alguém. Passamos a achar que é devido a inveja, ao mau olhado etc. O melhor que temos que fazer neste caso específico, quando enredados nestas situações desesperadoras auto-criadas e das quais não conseguimos achar uma saída, é realizar um honesto exame de consciência, observar nossas ações, palavras, intenções, pensamentos e atitudes com relação a nós mesmos e aos outros, e ver se são construtivas (fraternas) ou negativas (egoístas).

A Lei de Causa e Efeito é uma lei universal, e é através desta Lei que a humanidade vem se desenvolvendo e evoluindo. O livre-arbítrio é a tônica máxima no processo de evolução da humanidade. O livre arbítrio nos dá o poder de decisão da escolha: escolha da qualidade das palavras que emitimos através da fala, da qualidade de nossos pensamentos, de nossas atitudes e ações. Neste caso, o livre-arbítrio nos oferece duas opções: a opção pelo belo, pela harmonia, pelo construtivo, ou a opção pelo feio, pelo desarmônico e pelo destrutivo.

Estas duas opções implicam suas devidas consequências e interferências, positivas ou negativas, com relação a nós mesmos, aos outros e aos ambientes em que vivemos.

A humanidade de um modo em geral, a meio caminho de jornada evolutiva, esqueceu que sua existência na Terra tem como propósito o aprendizado das boas qualidades. Em sua maioria, as pessoas se deixaram e ainda se deixam levar pela ânsia do poder, da ganância, do domínio, da calúnia, da mentira e dos desejos descontrolados e da materialidade.

Esqueceram-se de que, em essência, somos seres espirituais. Esqueceram-se de que o corpo físico é apenas um instrumento que utilizamos para experimentar a vida neste mundo mais denso. Esqueceram-se de que vieram para este plano de materialidade para aprender a dominar e subjugar o ego (personalidade) cheio de vontades, para poder refletir o caráter do Criador.

Deborah Bergman

Fonte:
http://www.espiritbook.com.br/
Clique no botão abaixo e ajude a manter o blog com sua doação!








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...