quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Confie em Deus, na Vida, no Amor



São tantas as notícias ruins que destacam violências, assaltos, crimes de morte, violências sexuais, corrupções políticas, impunidades para os poderosos, que as pessoas vão se fechando em suas casas e até esquecem de compreender, sorrir, amar, partilhar a vida.

Mas será que a vida é feita somente de coisas ruins? Não! De modo algum. A vida, no estágio evolutivo em que nos encontramos, é feita de coisas más e outras boas. Mas o nosso objetivo não é a de falar de coisas negativas, e sim de solidariedade, bondade, fraternidade, amor partilhado.

Ah, o amor! Como poderemos viver sem ele? É o amor de Deus que sustenta o universo. É o amor universal que faz com que espíritos superiores, isentos das reencarnações em mundos inferiores, se corporifiquem em mundos como o nosso, para cumprir missões de extraordinário valor.

É por amor que uma mulher carrega no ventre, durante nove meses, uma nova vida, e dá a luz entre dores, para depois beijar aquele pequenino ser, apertá-lo ao peito e dizer com emoção:

- Meu filho! Meu amor!

É por um amor transcendente que um pai ou mãe abraça um filho de mente obnubilada pela deficiência mental, olhar aparvalhado, boca semi-aberta, e exclama com unção quase sagrada:

- Meu tesouro. Vida da minha vida.

Há os que, por amor, sobretudo por amor, se dedicam a curar, a educar, a indicar rumos, e chegam a sacrificar a própria vida em holocausto ao amor.

Alguns manifestam o seu amor plantando flores. Outros compõe músicas, fazem versos, criam leis, varrem as ruas, constroem casas...

Não importa que existam crimes e dores enquanto existir o amor, e este amor for partilhado.

Partilhar o amor? Como podemos fazê-lo? Comece devagarinho. Olhe bem dentro dos olhos do teu filho, não importando a sua idade, e diga: - Eu te amo!!! Faça o mesmo com o seu cônjuge, ou com os pais, avós, irmãos. Mas não olhe sem enxergar. Deixe que a tua visão penetre a epiderme e alcance as profundezas do ser e ali irá descobrir espíritos imortais, que vieram de outras vidas, seres que amam, que guardam medos, mesmo ódio talvez, mas que estão ao teu lado, permutando energias. Tente compreendê-los e partilhar com eles o seu amor.

Jogue para longe a tristeza. Desanuvie o semblante. Confie em Deus. Confie na vida. Confie no amor. Não tenha medo de amar, mas não cultive um amor possessivo. Ame pelo prazer de amar, e mesmo que você se machuque, terá valido a pena.

Sendo você espírita, maiores razões terá para ser alegre e partilhar o amor. Você sabe que é imortal, criado por Deus simples e ignorante, mas com todas as potencialidades das perfeições.

Você deve saber que o amor não morre, porque os que te precederam na grande viagem estão ao teu lado, simplesmente porque te amam. Seja forte. Partilhe o teu amor. A vida precisa do teu sorriso.

Amilcar Del Chiaro Filho

Fonte:







LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...